quarta-feira, 25 de junho de 2008

TPV - TENSÃO PRÉ-VESTIBULAR


Por: Adilson Sobrinho
Cuidado, descoberto um novo mal que aflige a humanidade!
Foi descoberto recentemente por cientistas da ilha de Java, uma nova forma de agitação psicológica que aflige boa parte da população mundial. Segundo dados, este mal atinge, preferencialmente, jovens na faixa que vai entre os 17 e 19 anos, matriculados em cursinhos pré vestibulares ou alunos regulares do 3º ano do ensino médio. No início, manifesta-se de forma leve e quase imperceptível, provocando basicamente um pequeno aumento de atenção às aulas, mudanças de lugar na sala, o que cria algum problema pois todos os portadores querem sentar na primeira fila, ou seja, se você ainda se senta na turma do fundão, respire aliviado, isto significa que ainda não foi infectado. Neste princípio de evolução deste mal, os mais prejudicados são os pobres professores que têm de responder a perguntas do capítulo 9, quando eles ainda estão em fevereiro.
À medida que a doença avança, novos hábitos e "tiques" estranhos vão tomando conta do afetado, levando-o a se portar de maneira bastante contrária à sua vontade como por exemplo: passar todo o recreio lendo Machado de Assis, trocar shows de Axé music por uma rodada de investigações sobre geratriz, PG, República Velha, Revolução Francesa e Movimento Retilíneo Uniforme, bebendo Nescau quente na casa daquele colega "aplicadinho". Quando o grande mal invade todo o corpo realizando uma "metástase" incontrolável, a coisa fica feia, é um tal de atropelar o professor interpelando-o sobre questões que são vitais como qual a composição química da tinta de seu cabelo, se, em sendo professor, a que processo do modo de produção ele pertence, por que as variáveis de seu salário se alternam sempre em conformidade com a razão ... O que é pior são as dúvidas e incertezas, este indivíduo é capaz de jurar que o "bom dia" dado de forma tão simplória pelo professor é um ‘adjunto adverbial de tempo’ e que o amado mestre o vinha fazendo de forma completamente equivocada.
Começa então a redução do sono (pra estudar), a redução do apetite (pra estudar) a redução do lazer (pra estudar) e a redução da alegria (pra estudar). Inicia-se aí o aparecimento de "fantasmas" , primeiro os familiares que sonham ver o rebento na Universidade, do vizinho que já tem um filho que já é "dotô", da infeliz da prima, que passou em 327 faculdades, do tio enxerido que diz que é o que é porque nunca foi muito dado a estudos (e o safado nunca fala que é o que é, porque passou a vida enxugando todas). Estes fantasmas aparecem, geralmente, só na cabeça do pobre coitado do doente, mas tente dizer isto pra ele !Segundo o grande especialista javanês, Dr. Karl Mameu Filho, este mal tem nome e tem cura, foi batizado de TPV (Tensão Pré Vestibular) e a cura não envolve medicações complicadas nem terapias Freudjunguianas do ego e da alma. A cura está, simplesmente, na crença de que, no fundo, a mamãe e o papai sonhador, o professor dedicado, a prima das 327 faculdades e até o tio bebum, torcem mesmo é pela possibilidade de ver o seu filho, vizinho, primo, sobrinho e aluno, "FELIZ" descartando, com isso, a possibilidade de que isto só aconteça com quem se transforma em "Homus Campus". Portanto segundo o Dr. Karl Mameu Filho, estar relaxado, tranqüilo, confiante, plugado no mundo (e pra isto é preciso sair de casa) são fatores preponderantes pra curar, de vez, a TPV. Sabendo conciliar estudo, lazer e confiança, o vírus morre (de tédio, segundo Dr. Karl) e as possibilidades aumentam, não só as de entrar na universidade, mas a de compreender que cada tempo tem seu lugar e a vinculação da felicidade com coisas externas não faz de ninguém indivíduos plenos e prontos para entender as armadilhas da vida. Meu amigo vestibulando, exercite o seu pensar, exercite sua capacidade de crítica, exercite o hábito da leitura, o mundo é muito mais que fórmulas decoradas. A TPV não mata, mas lhe impede viver intensamente um dos períodos mais bonitos de sua vida. Ouvi ontem em uma das minhas 538 passagens diárias pela sala de minha "loura fumante inveterada" chefe, que filosofava frente a um jogo eletrônico de paciência, uma frase fantástica:
"QUEM NÃO OUVE CONSELHOS, OUVE...COITADO ! Relaxem meninos, a vida é mais, muito mais ! Obs.: O Dr. Karl Mameu Filho, só entrou na Universidade após o 9º concurso vestibular, baixinho aqui em seus ouvidos, era portador crônico de TPV.

Siga o exemplo, ligue o som, e relaxe (?)

quinta-feira, 19 de junho de 2008

N° X000

Desde o ínicio do Blog a Equipe BioblogPE TENTA fazer festa para o visitante X000, porém o n° de visita do Blog corre muito rápido e a Equipe mesmo ficando muito atenta chega atrasada :(
Mas é com a mesma satisfação que o BioblogPE agradece as visitas e os comentários (mesmos esses sendo mínimos, infelizmente).
Equipe frustrada, mas quem sabe no n° 3000.

Biologando e Filosofando

As operárias são livres
Os zangões também voam
Mas a rainha é escrava
Trecho do livro: Clube da Luta - Chuck Palahnuik

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Teoria


Se você ainda não sabe qual é a sua verdadeira vocação imagine a seguinte cena: Você está olhando pela janela, não há nada de especial no céu, somente algumas nuvens aqui e ali. Aí chega alguém que também não tem nada para fazer e pergunta: Será que vai chover hoje?
Se você responder “com certeza”, a sua área é Vendas: o pessoal de Vendas é o único que sempre tem certeza de tudo.
Se a resposta for “sei lá, estou pensando em outra coisa”, então sua área é Marketing: o pessoal de Marketing está sempre pensando no que os outros não estão pensando.
Se você responder “sim há uma boa probabilidade” você é da área de Engenharia: o pessoal de Engenharia está sempre disposto a transformar o universo em números.
Se a resposta for “depende”, você nasceu para Recursos Humanos: uma área em que qualquer fato sempre estará na dependência de outros fatos.
Se você responder “ah, a meteorologia diz que não”, você é da área de Contabilidade: o pessoal de contabilidade sempre confia mais nos dados do que nos próprios olhos.
Se a resposta for “sei lá, mas por via das dúvidas eu trouxe um guarda-chuva”, então seu lugar é na área Financeira: que deve estar sempre bem preparada para qualquer virada de tempo.
Agora se você responder “não sei”, há uma boa chance que você tenha uma carreira de sucesso e acabe chegando à diretoria de uma empresa. De cada 100 pessoas, só uma tem a coragem de responder quando não sabe.
Os outros 99 sempre acham que precisam ter uma resposta pronta, seja ela qual for, para qualquer situação.
“Não sei”, é sempre uma resposta que economiza o tempo de todo mundo, e predispõe os envolvidos a conseguir dados mais concretos antes de tomar uma decisão.
Parece simples, mas a resposta “não sei” é uma das coisas mais difíceis de aprender na vida corporativa. Por quê?
Eu sinceramente “não sei”.
(Texto atribuído ao empresário Antonio Ermírio de Moraes, publicado na Revista Exame)

domingo, 15 de junho de 2008

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Dia Mundial contra o Trabalho Infantil

Criança não trabalha, criança dá trabalho.

Namorados


E desde então, sou porque tu és
E desde então és
sou e somos...
E por amor
Serei... Serás...Seremos...
Pablo Neruda
O pingüim macho tem um jeito particularmente encantador de descobrir o que lhe interessa saber sobre os seus companheiros uniformizados.
Apanhando um seixo com o bico, ele dirige-se a um outro que esteja parado sozinho e deposita-o solenemente no solo defronte.
Se receber uma bicada raivosa e observar um movimento agressivo, percebe que cometeu um erro terrível: trata-se de um outro macho!
Se o presente é recebido com total indiferença, ele encontrou uma fêmea ainda não preparada para o acasalamento ou já comprometida com outro macho. Apanha então o presente rejeitado e continua a sua busca.
Mas se a estranha aceita a oferta efetuando uma profunda reverência, ele encontrou a sua companheira.
Faz outra reverência em resposta e o par estica o pescoço e celebra a união com um coro nupcial. E assim será para sempre.

Comportamento animal em filme


O filme documentário A Marcha dos Pinguins é a mais bela história que a natureza criou... uma jornada pela preservação da espécie num filme emocionante e de imagens arrebatadoras.

Na Antártida, em todo mês de março, centenas de pingüins fazem uma jornada de milhares de milhas de distância pelo continente a pé, enfrentando animais ferozes, temperaturas frias, ventos congelantes, através das águas profundas e traiçoeiras.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Ser um em um milhão


O ano era 2001, e um décimo deixou-a de fora da entrada para uma universidade federal, pois é, um décimo, algo tão pequeno, mas que não possibilitou a ela nem um remanejamento. Teria ela que estudar novamente, nossa, que peso estudar tudo novamente. Então ela decidiu ter uma postura diferente nos estudos, de agora em diante estudaria muito bem suas eletivas, bem suas não, mas tiraria de sua vida alguns assuntos que nunca entendera, a maioria deles de matemática que pra ela era escrita em grego. E depois que entrou no cursinho não teve dúvidas que deveria selecionar assuntos, lembrava ela das aulas do professor de matemática que usava exemplos com frutas, ora bolas, se ela não entendia exemplos com números imagina com frutas, coisa do tipo: uma laranja + uma maçã = duas bananas, como assim, dizia ela aos risos. Sua estratégia deu certo. Estava indo bem nos simulados e etcs. Nossa menina também havia decidido mudar de unidade, já que seu mestre não mais ensinava na unidade do seu terceiro ano, nada mais justo acompanhar a pessoa que ela admirava e que a estimulava com suas aulas para o curso que ela havia escolhido por opção, a saber: ciências biológicas.
No dia do vestibular nossa menina cometeu um erro, não havia ido antes no seu local de prova, e... pimba, colégio errado, confundira os danados dos nomes, até estava no mesmo bairro, mas em pontos totalmente distintos, ai Deus. O bondoso motorista da van, que circulava naquela época, com pena da sua aflição resolveu ajudá-la, assim que parasse de subir passageiros, não satisfeito com sua pequena ajuda ele ainda conversara com ela por todo percurso tentando acalmá-la. Ela, o cobrador e o motorista não sabiam exatamente onde era o colégio, mas assim foram. No meio do caminho uma estudante, a salvação, estava indo exatamente para lá. Sobe aí e vem comigo, disse o motorista. Chegando no local nossa menina deu em gratidão 70% do dinheiro que tinha para o motorista e ainda pagou a van com dois vales, coitada nem notara que já havia pago. Ao subir para sua sala como um golpe do destino, sentada na cadeira atrás da sua estava sua prima, que morava tão próximo que podia chamar de vizinha. Aprendeu: nunca mais fico sem comentar sobre meus locais de prova.
Na segunda fase, a pobre menina do juízo mole, não errou o local de prova, mas conseguiu esquecer o cartão de inscrição com o número da sala, bichinha deve ser tantan, só pode.Teve então que ir a administração do bloco, subira oito andares de escada, castigo, claro. E ainda teve que procurar todos os milhares de nomes começando com a letra T, achou! Sala tal, cinco andares a menos, elevador lotado, apelou mais uma vez pra escada, seu tempo já estava curto. Ao abrir seu caderno de provas, estava lá tudinho que seus professores tinham falado na última semana de aula e no aulão de véspera. Suava de nervoso por saber tanto, percebera que o seu azar lhe trouxera sorte, sua posição na primeira fase era 108, sete pessoas na sua frente já que havia apenas 100 vagas. Parou, respirou, olhou, olhou de novo, abaixou a cabeça na prova por 5 minutos e depois mãos a obra. Delícia saber tanta resposta.
Deixou o local com a sensação de vitória.
Passaram os dias e o tão sonhado listão saiu. Nossa, e a coragem de olhar que ela não tinha. Seu pai ansioso: filha e aí? Respondera: é melhor o senhor me dar uma prancha e eu viver pro surfe. Risos dela, cara feia dele.
O fim da tarde chegara e ela ainda sem coragem foi pro banho com o coração nada calmo. De repente gritos na sua porta, era sua tia que havia visto seu nome no listão. Saiu de toalha e aos pulos, risos e lágrimas, que sensação. Conquista era o nome, minha era o sobrenome. O pai chegara à noite cabisbaixo e sem saber, chegou e nada perguntou. Ela chamou-lhe pra comemorar e tudo que ouviu foi um deixe de gracinha. Nem os seus olhos grandes mais azuis e iluminados do que o céu num bom domingo de praia e o sorriso farto fizeram-lhe acreditar, só após ligar para a tia que havia dado a notícia acreditou. E caiu em lágrimas, lágrimas de puro orgulho. Sua filha havia conquistado o principal mandamento de sua casa: Se sua única obrigação é estudar, estude e conquiste tudo que puder.
Isso tudo pra deixar aqui uma história real de quem já passou pelo momento em que a maioria dos leitores vivem. Isso tudo pra dizer que não importa a dificuldade, o tamanho e a recompensa da conquista valem à pena. O sabor de um olhar de orgulho é inesquecível e incomparável. E o dever cumprido é singular. E tudo depende unicamente de você.
Por Equipe BioblogPe

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Dia Nacional do Meio Ambiente e da Ecologia

Um chamado para a conscientização ambiental

O perigoso



-Bem, e agora?
-Ahhh Mozão, amanhã, o dia-D, eu tomo o Pós-love pra solucionar nosso Pós-ato.

Diad, PosLov, Pozato, bem sugestivo o nome fantasia desses remédios, não?
Pois é, sugestivo sim, tão sugestivo que muitos adolescentes estão deixando de tomar a pílula e/ou usar camisinha para se favorecer dos “beneficio” do maravilhoso remédio citado a cima. Claro, seu baixo custo favorece a sua venda. Porém, o que poucos sabem é o efeito que esse danadinho tem em um organismo.
Só pra saber um pouco mais sobre o remédio, a pílula do dia seguinte ou P.D.S é um medicamento que só deve ser usado em caso de emergência. Por ser um medicamento extra-forte (quatro a dez vezes mais do que as pílulas comuns). Além disso, o medicamento tem que ser tomado dentro de um período determinado e, mesmo dentro desse período ele tem um índice de 5% de falha.A meu ver, 5% é uma percentagem bem alta.
Não deixando por aí os pontos negativos do danado, falo mais: a ingestão do remédio pode provocar dores nas mamas, acnes, náuseas e cefaléia. Além de perturbar todo o ciclo menstrual, e o tempo de ovulação da garota, ou seja, se ela achava que sua menstruação ia vir dia tal ou ia ovular dia tal, não irá mais devido ao remédio, e isso faz com que muitas garotas engravidem mês depois de usar o remédio. Um verdadeiro enigma formado. Ainda, a saber: o uso contínuo desse medicamento pode deixar a mulher infértil devido às altas dosagens de hormônio no seu organismo. E em casos tão graves quanto a infertilidade a P.D.S ainda pode causar desarranjos no sistema circulatório chegando a surgir em alguns casos trombose (um coágulo dentro do vaso sanguíneo impedindo o fluxo normal do sangue). Umm, vai toma bichinha!!!
E nem vou comentar das DST, que não são evitadas.
Fica aqui a mensagem de que planejamento familiar é valido sim, mas jamais colocando sua saúde em risco. Sexo é sinal de amadurecimento, amadurecimento é sinal de compromisso, e compromisso é sinal de responsabilidade, e responsabilidade você deve ter com você mesma. Sempre.
Por Equipe BioblogPe

terça-feira, 3 de junho de 2008

O risco é real


E após dois anos Pernambuco tem a lamentável notícia de mais uma ataque de tubarão.
Infelizmente Pernambuco conta com um problema que não tem como ser resolvido, devido o grau de prejuízo ambiental que já sofreu. A este cabe apenas a amenização através de conscientização e educação. Se o problema existe pode e deve ser exposto, para que dessa forma haja menos danos à população (local ou não) possível. E isso tem sido feito, porém, qualquer tipo de conscientização ou educação só tem efeito se, e somente se, a população faz a sua parte. E quando as “normas” são desrespeitadas o prejuízo para quem desrespeitou pode ser enorme. Mas, como é de prache, nós sempre acharmos e falarmos que: com a gente isso não vai acontecer. Erro grave!
O risco de ataque é real, mas com certeza você nunca verá um tubarão na areia tomando sol.
Sobre tubarão vale a pena ler:
Por Equipe BioblogPe