segunda-feira, 26 de maio de 2008

Bom texto


Vou começar falando de vespa, que pode ser vista nos campos numa eterna caçada que se repete há milhares de gerações. A vespa procura uma aranha. Trava com ela uma luta de vida ou morte. Pica-a várias vezes, paralisando-a viva. Arrasta-a, então, indefesa, para o seu ninho, um buraco na terra. Deposita seus ovos. Depois disso sai e morre. Tempos depois nascem as larvas, que se alimentarão da carne viva da aranha. Crescerão sem ter nenhuma mestra que lhe ensine o que fazer. A despeito disso, farão exatamente o que fizeram sua mãe, sua avó, e todos os ancestrais, por tempos imemoriais...
Educação perfeita, sem mestres e sem consciência. Na verdade, educação alguma, porque o conhecimento já nasce solidário com o corpo e faz com que o corpo faça o eu tem de fazer. Repetição sem fim. Cada geração reproduz a outra. Graças a repetição e a reprodução a vida é possível. Já imaginaram o que seria se cada nova geração, tudo devesse começar do zero?(...)
As vespas são poupadas as dores da aprendizagem. Todo conhecimento necessário a sua vida já está presente, inconscientemente, no seu corpo.Programada perfeitamente para viver e morrer. Vida sem problemas novos, sem angústias, sem neuroses, sem revoluções.
Nós?
Seres de programação biológica atrofiada, encolhida, restrita. Verdade que ela diz bastante sobre as coisas que devem acontecer dentro da nossa pele, tanto assim que crianças continuam a nascer, na maioria das vezes perfeitas, de mães e pais que nada sabem. Mas ela diz muito pouco, se é que diz alguma coisa, sobre o que fazer por este mundo afora. Tanto assim que foi preciso que homens inventassem maneiras de ser humanos por meio da imaginação e de convenções. São os mundos da cultura. Mas essas invenções não se transformam nunca em programação biologia. Por isso as receitas de como ser humano têm de ser ensinada, aprendidas e preservadas. E isso se faz por meio de linguagem.
Alves, Rubem - Conversa com quem gosta de ensinar

2 comentários:

Кεℓℓεη √@ѕqμεѕ disse...

Muito interessante! Adorei ;)

To sem mto tempo pra net, mas sempre que posso venho visitá-los!! Sucesso e ótima semana!

:****

bioblogPe disse...

Kellen, sempre um prazer vc por aqui!
Esse texto foi usado num concurso pra biologo que teve aqui ontem, adorei e compartilhei.
Bjos-procê